Fraturas dentárias, cáries extensas e doenças periodontais são alguns dos fatores que levam à extração dentes.

 

Chegar ao consultório do dentista e receber a notícia de que será preciso extrair um dente é algo desesperador para algumas pessoas. Entretanto, há alguns casos onde realmente é indicada a extração. “Fraturas dentárias e cáries que atingem coroa ou raiz do dente, doenças periodontais, trauma oclusal e infecção de canal com destruição óssea são alguns exemplos de problemas graves que podem levar à perda dental”, afirma Dr. Paulo Coelho Andrade, mestre e especialista em implantodontia e odontologia estética.

As situações onde um dente realmente não pode ser salvo envolvem casos onde o problema pode prejudicar a arcada e a saúde bucal de forma geral. O dentista conta que a extração se torna irreversível quando o periodonto – conjunto de tecidos que sustentam os dentes – fica incapaz, mecanicamente, de mantê-los estáveis, apresentando uma mobilidade severa, principalmente, durante a mastigação. Outros casos mais brandos que levam à remoção são as necessidades ortodônticas ou dentes supranumerários que, como o próprio nome diz, são dentes a mais na boca.

O pós-operatório da extração, como qualquer outro, requer alguns cuidados para que não haja complicações. Não fazer bochechos, evitar alimentos quentes, a prática de esportes e exposição ao sol são as recomendações. Pelo menos durante os três primeiros dias é interessante manter repouso pelo maior tempo possível, comer alimentos líquidos ou pastosos e mornos/frios e se hidratar bastante.

Após removidos os dentes, é necessário substituir os espaços vazios por dentes artificiais, uma vez que uma mastigação deficiente compromete a qualidade de vida das pessoas. “Como a intenção é manter a saúde bucal e nivelar a arcada dentária, a técnica de implante é uma ótima opção para harmonizar tanto o sorriso, quanto a funcionalidade dos dentes da boca. As próteses sobre implantes são capazes de reabilitar um, alguns ou todos os dentes da boca. Os implantes evitam a reabsorção óssea e consequente modificação facial, além de não alterar a fonética”, conclui o dentista.

Fazer visitar regulares ao dentista – de 6 em 6 meses – e realizar os cuidados bucais diários (escovação e fio dental, pelo menos após as principais refeições) são essenciais para manter a saúde bucal em dia. Alguns problemas são silenciosos e somente são detectados quando já estão em estágio avançado/grave, momento onde a única solução é a extração.

Serviço

Clínica Dr. Paulo Coelho Andrade

Av. Bandeirantes, 466 – Mangabeiras

Belo Horizonte - MG

(31) 3227-7076

Digite seu e-mail:

Entregue por Grupo BEZ