Betim

Estudo do Unicef sobre mortes de jovens entre 12 e 18 anos aponta que Brasil pode ter mais 43 mil vítimas até 2021. Em Minas, Betim lidera, com 7,95 mortes por mil, seguida por Coronel Fabriciano (7,14), Governador Valadares (6,54), Ribeirão das Neves (6,25) e Muriaé (5,81). Em BH, o índice é de 3,10

 

Um flertou com oportunidades de novas vivências, mas voltou ao mundo do crime e foi assassinado em um acerto de contas com o tráfico. O outro deixou para trás a inocência da infância e as peladas nas ruas do bairro com os amigos para também entrar no universo das drogas e ter a vida interrompida abruptamente. As histórias são contadas por dois educadores de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, que viram, nos últimos tempos, jovens de seus relacionamentos pessoais ou profissionais terem a vida ceifada pela violência. 

Fruto de um roteiro em comum, se tornaram estatística e engrossaram o índice de Uai

 

As atividades do programa contemplam, até junho deste ano, todas as 69 escolas municipais, beneficiando ao todo cerca de 41 mil alunos.

Movidos pelo propósito de investir na melhoria da qualidade da educação, a Fiat Chrysler Automóveis (FCA), em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), criou o programa Rota do Saber que é gerido de forma intersetorial, envolvendo a empresa, o Instituto Ramacrisna e a Prefeitura de Betim, por meio da Secretaria de Educação do município. O projeto, que tem como beneficiários profissionais e alunos do ensino fundamental,  promove a qualificação dos educadores e oferece conteúdos e atividades direcionadas aos estudantes.

 Dentre as atividades educativas e culturais voltadas para os alunos, um dos destaques é a Mala de Leitura, que funciona como uma biblioteca itinerante e estimula nas crianças a curiosidade em saber o que acontece no mundo dos livros. O termo Mala de Leitura foi pensado não somente para possibilitar o transporte dos livros em segurança, mas também como forma de configurar um método, sem fronteiras, que promove a redescoberta da relação entre o educador, o leitor e a leitura. A mala, que está sendo entregue a todas as 69 escolas participantes do programa, se transforma em estante expositora, comporta 40 livros de literatura infanto-juvenil e encanta crianças e adolescentes.

 Desde 2010 fazendo parte dos projetos do Ramacrisna, a Mala de Leitura já ganhou diversos prêmios como o prêmio Leitura do Bem, Concurso Cultural, que foi realizado pela TV Alterosa e Estado de Minas em parceria com a Livraria Leitura no final de 2017 e a Menção Honrosa, na 18ª edição do concurso "Os Melhores Programas de Incentivo à Leitura Junto a Crianças e Jovens de Todo o Brasil" que aconteceu em 2013 durante o 15º Salão FNLIJ - Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, no Rio de Janeiro.

 A Mala de Leitura faz parte do projeto de incentivo à leitura, Jornada Literária, da Secretaria Municipal da Educação de Betim. Para a superintendente do Ensino Fundamental, Elizabete Aparecida Ribeiro Silva, tem como principal objetivo incentivar a leitura e ampliar o acervo das bibliotecas. "A palavra mala remete a viagem, exatamente o que queremos propiciar aos nossos alunos, uma viagem no mundo das letras, dos sonhos, do conhecimento e do encantamento pelos livros", ressalta.

 Juntamente com a entrega das malas, os alunos são incentivados, por meio de contações de histórias, a encontrar o que foi, é e será contado nos livros. Participam das ações as contadoras de historias Cleide Moura, coordenadora da Biblioteca Ramacrisna, a professora Cristiane Muniz e a escritora e musicista Bruna Bernardes, Nana, que também trabalha com pesquisas de brincadeiras antigas e oficinas para crianças e educadores há mais de 8 anos. As histórias vão desde contos e fábulas a lendas e crônicas.

 Solange Bottaro, vice-presidente do Instituto Ramacrisna, acredita no incentivo à leitura que a instituição oferece aos futuros leitores. "Por meio da leitura, as pessoas adquirem o saber e aprendem novas palavras. O livro é uma fonte inesgotável de conhecimento e por meio dele as crianças conseguem aprender sobre história, arte, enfim uma bagagem cultural muito importante para a formação do cidadão", conta.

 Para Luciana Costa, coordenadora de Sustentabilidade da FCA, o grande desafio é incentivar crianças e adolescentes a desenvolverem o hábito de ler por prazer, não por obrigação. "Ações como a Mala da Leitura despertam o gosto pela leitura e pelo livro. Em um contexto em que equipamentos eletrônicos são cada vez mais acessíveis, a mala de leitura promove o contato com o livro, através de histórias que aguçam a curiosidade dos alunos", afirma Luciana.

  

Sobre o Rota do Saber

 O objetivo do programa é promover a melhoria da qualidade do Ensino Fundamental, ao realizar a qualificação dos educadores, com métodos de ensino mais eficazes e a integração da escola com a comunidade. Cursos de formação, oficinas e seminários são as ferramentas para engajar professores, diretores, pedagogos, alunos e pais, irradiando para toda a comunidade o compromisso com a qualidade do ensino. Com duração de 15 meses, o Rota do Saber abrange todas as 69 escolas municipais dos 189 bairros da cidade, beneficiando cerca de 1.200 educadores, entre diretores, vice-diretores, pedagogos, professores de 4º e 5º ano e professores de 6º ao 9º ano de português e matemática, que irão impactar 30 mil alunos diretamente.

 A partir de um amplo diagnóstico, que avaliou as principais demandas e potencialidades de ensino nas escolas do município, uma nova metodologia foi traçada, com novas possibilidades de conteúdo e abordagens. Os resultados do programa serão mensurados pelos sistemas de avaliação do Ensino Fundamental, que são o IDEB do Ministério da Educação (MEC), o PROEB da Secretaria de Estado de Educação, e o Avalia Betim da Secretaria Municipal de Educação.

  Sobre o Instituto Ramacrisna

 Criado pelo jornalista Arlindo Corrêa da Silva, o Ramacrisna desenvolve, há 59 anos, projetos culturais, educacionais, aprendizagem, profissionalizantes, entre outros, voltados para a comunidade em situação de vulnerabilidade social de Betim e dez cidades do entorno. O nome do instituto é uma homenagem ao filósofo indiano Sri Ramakrishna, ecumenista que viveu no século 19 e pregava o trabalho social como forma de transformação do ser humano. A Ramacrisna se tornou conhecida em todo o Brasil como instituição do Terceiro Setor referência em projetos de autossustentabilidade por possuir uma Fábrica de Telas de Arame. O resultado obtido com as vendas é destinado ao setor social da Ramacrisna, garantindo mais autonomia e uniformidade no atendimento às pessoas amparadas pelos projetos.

 A Ramacrisna ainda coleciona, desde a sua fundação, diversas premiações renomadas, entre elas as mais recentes: o selo "Melhores ONGs" promovido pela Revista Época e Instituto DOAR que leva em consideração critérios como a gestão e transparência da Instituição, a certificação internacional "GreatPlacetoWork (GPTW)", que reconhece os melhores lugares para se trabalhar e o Prêmio Itaú-Unicef na categoria Grande Porte Regional Belo Horizonte, com o projeto "Escola Integral", que busca o desenvolvimento integral dos alunos, acreditando na educação como uma ferramenta de transformação. O prêmio é considerado o maior do Brasil no campo da educação como chancela da UNICEF – Fundo das Nações Unidades Para a Infância.

  

SERVIÇO

Projeto inovador chega a Betim para contribuir com índices de educação

Instituto Ramacrisna

Rua Mestre Ramacrisna, 379, Santo Afonso – Betim/MG

Telefone: (31) 3438-5500

www.ramacrisna.org.br 

Digite seu e-mail:

Entregue por Grupo BEZ