A mulher foi socorrida para o Hospital Regional de Betim, onde segue internada. O policial se envolveu em outra ocorrência horas antes em outro bairro da cidade, onde teria agredido outro homem

 

Mais um crime passional terminou em morte em Minas Gerais. Um cabo da Polícia Militar (PM), Richard Wagner Santana Benjamim se matou na madrugada desta terça-feira em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A mulher dele ficou ferida. Dois filhos do casal estavam na casa quando o caso aconteceu. Informações, ainda não confirmadas, dão conta que ele estava insatisfeito com o relacionamento, por ciúmes. Horas antes do crime ele se envolveu em outra ocorrência em que teria agredido outro homem. A companheira do PM segue internada no Hospital Regional de Betim. O estado de saúde dela não foi informado. 

O crime aconteceu por volta das 2h. Segundo o boletim de ocorrência da PM, uma chamada foi feita à corporação solicitando ajuda devido a uma pessoa ter cometido suicídio dentro da residência. Os militares se deslocaram ao imóvel e, quando entraram, encontraram o corpo do cabo da PM em cima da cama de solteiro. O homem estava com uma perfuração na cabeça e segurando uma arma de fogo na mão direita. Já não apresentava sinais vitais. 

A mulher dele estava caída no chão consciente e reclamava de dores nas costas e estava com dificuldade de movimentar os membros inferiores. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi até o local e socorreu a mulher para o Hosptial Regional de Betim. Ela passou por cirurgia. Segundo a PMMG, o quadro de saúde dela é estável.

 

A perícia constatou que o cabo estava com uma perfuração no lado direito da cabeça. A bala transfixou o crânio. Uma pistola com sete munições intactas e uma deflagrada foi apreendida. A principal suspeita é que o tiro tenha atravessado a cabeça do policial e atingido a região lombar da mulher. O corpo do policial foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML). 

Antes da chegada da perícia da Polícia Civil, foi cogitado que o militar teria atirado contra a mulher e depois se matado, segundo o Capitão Cristiano, da sala de imprensa da PM. Porém, foi constado que apenas uma cápsula foi deflagrada, descartando essa hipótese. 

O caso vai ser investigado pela Polícia Civil, que deve ouvir a vítima nos próximos dias. 

 

Agressões

A insatisfação do militar como relacionamento pode ser constatada em outra ocorrência que aconteceu horas antes. De acordo com outro boletim de ocorrência da PM, o cabo foi até o Bairro Niterói, em Betim, onde teria ameaçado um homem por ciúmes da mulher. No registro, a vítima afirma que o policial a obrigou a entrar na casa e o teria agredido com chutes. Ele também atirou contra a parede. O tiro não acertou a vítima. 

O militar deu outra versão sobre os fatos. Informou que estava em casa quando o homem “chegou com desaforo”. Disse que ficou sabendo, por uma terceira pessoa, que a vítima teria dito que iria passar com o carro por cima dele. Por isso, foi conversar com o homem, mas que ficou nervoso e decidiu sair de casa. Ele negou que tivesse efetuado qualquer disparo.

 


Uai


 

Digite seu e-mail:

Entregue por Grupo BEZ