Se de repente me fosse dado o poder

De transformar tudo que tocar

Você seria um imenso e bonito jardim

Constantemente a me encantar

 

Você seria o rio que corre ligeiro

A água que canta mansa ao correr

E eu seria um homem com sede e sedento

Precisando mergulhar de cabeça para não morrer

 

Você seria o raio que corta o céu como um mistério

Assustando a todos, e as noites iluminando

O céu com suas estrelas encobertas

E eu olhando para o firmamento te procurando

 

Você seria a luz em noite e lua cheia

Com seus raios a iluminar os corações, calma e quieta

E eu seria para sempre um trovador e seresteiro

Cantando este amor com alma de poeta


 - Tenho 67 anos, nasci e moro em Betim - Minas Gerais- Brasil. Premiado em 1990 no Concurso Literário PROJETO BATEIA da Prefeitura de Betim-MG . Escrevo simplesmente por prazer e para denunciar a Injustiça Social que causa a pobreza do nosso povo.Sou casado com Patrícia com quem tenho 03 filhos. Participei como co-autor em cinco coletâneas de diversas editoras.

Digite seu e-mail:

Entregue por Grupo BEZ