Paiva Netto

Jesus, o Divino Benfeitor, deixou-nos o segredo de Sua postura espiritual e humanitária, a ponto de alimentar uma multidão (...) mesmo na exiguidade de um deserto: “Buscai primeiramente o Reino de Deus e Sua Justiça, e todas as coisas materiais vos serão acrescentadas” (Evangelho, segundo Mateus, 6:33).

Quando nos dispusermos a meditar sobre essa Fórmula Econômica do Cristo, estaremos nos integrando na Competência de Deus, criaturas Dele que somos. Tudo o que se relaciona com produção e distribuição equânime de renda está nessa “Fórmula Urgentíssima de Jesus”, conforme o saudoso fundador da LBV, Alziro Zarur (1914-1979), denominou o referido versículo evangélico. O resultado da aplicação dessa sabedoria, do Reino de Deus e Sua Justiça” — isto é, do pleno conhecimento das Leis Espirituais que regem a Vida no Cosmos, capaz de tornar a Humanidade mais humana e mais espiritualizada —, é justamente abrir a nossa cabeça para que essa Divina Competência se estabeleça em nós. E, assim, não nos aprisionaremos à visão restritiva da escassez de recursos, de bens, de oportunidades de emprego e do que mais o seja. Desta feita, permitiremos que os ilimitados valores do Espírito, tais como o Amor, a Solidariedade, a Generosidade, a Compaixão, o Altruísmo, a Fraternidade, constituam as balizas das soluções de todos os problemas socioeconômicos que afligem os povos. E elas virão por intermédio do esforço conjunto das criaturas esclarecidas por esse Infinito Saber.

Em meu livro Como Vencer o Sofrimento (1990), ponderei: O Amor que se compartilha multiplica-se em quem o divide. Eis a Economia Ecumênica, portanto Solidária e Altruística, fórmula segundo a qual, quanto mais se doa, mais se recebe. Eis o moto-contínuo a impulsionar a vida em comunidade.


José de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.www.boavontade.com

__________________________

Trecho extraído do novo livro Tesouros da Alma (Editora Elevação), de Paiva Netto, 304 páginas.