Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 





Professora fala sobre os diferentes ritmos de dança, e a maneira como eles influenciam no corpo.

A dança é uma das principais forma de expressão da atualidade, conquistando milhões de pessoas pelo seus movimentos e ritmos diversificados, que podem expressar diversos sentimentos como raiva, tristeza, alegria e amor, entre outros. A dança em si é uma das formas de expressão mais antigas do mundo, e era uma das artes mais populares na Antiguidade, juntamente ao teatro e a música.

Na atualidade, pode-se encontrar diversos estilos diferentes de dança, agradando a pessoas de todas as idades. Segundo Ingrid Teles, que é bailarina desde os 12 anos de idade, a prática da dança ajuda na valorização de si mesmo, além da manutenção da boa forma e da prevenção de doenças. "O ritmo, tão valorizado na dança, é algo que se move de forma regulada, e podemos percebê-lo em diversos momentos do nosso dia: na nossa respiração, no nosso andar, etc. Dessa forma, é possível interpretar que o ritmo só precisa ser adequado para a dança em si, o que pode parecer difícil no começo, mas se torna prazeroso a medida que a pessoa desenvolve suas habilidades", observa.

 

Ingrid,  que atua, presentemente, como dançarina, professora, enquanto participa de diversas competições e mantém seus estudos em modalidades de dança diferentes, acredita que, no meio da infinidade de ritmos de danças que existem atualmente, se torna impossível não encontrar um que combine com você. "Para dançar, basta querer. Além de opções clássicas e mais delicadas como o ballet, também é possível experimentar modalidades como o jazz e o hip hop, que possuem ritmos mais rápidos e modernos, onde o participante deve demonstrar o esforço que está fazendo para dançar", explica.

Ela também enfatiza que os ritmos podem mudar de acordo com o propósito da dança. "Para danças religiosas, como as indianas, os ritmos serão alegres e acompanhados de orações, por parte dos devotos. Já em danças como o tango, que visam a sensualidade, tudo será mais lento e dramático. O interessante é observar que as expressões dos dançarinos mudam durante a dança, para compor a atmosfera criada nesse ato. Você pode escolher, entre uma infinidade de ritmos, entre os mais populares, como o ballet, jazz, sapateado, dança de salão ou zumba, ou, ainda, se aventurar pelos menos conhecidos, como stiletto, dança do ventre ou danças indianas, por exemplo", afirma.

A professora de dança ainda fala que o importante, na dança, é se esforçar e se divertir enquanto faz isso. "Por mais que seu objetivo não seja ser um profissional ou competir, dançar é uma atividade prazerosa, que conquista cada vez mais pessoas de todas as idades. Recomendo que todos tentem, pelo menos uma vez, participar de uma aula de dança, para ver como é maravilhoso conhecer os diferentes ritmos, e sentir os benefícios da dança em sua mente e corpo!", finaliza.

Serviço: Ingrid Teles

Portfólio: www.ingridtelesdance.tumblr.com/

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: 41 9546-4157


Copyright © 2019 Tribuna de Betim - Notícias. Todos os direitos reservados.
Grupo BEZ Tecnologia e Soluções. Betim - MG - Brasil