Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

As férias do meio do ano estão chegando e os pais já pensam no que fazer para passar mais tempo com os filhos. Quando conseguem tirar uns dias de folga do trabalho nesse período, o programa favorito é viajar. No entanto, muita gente não se planeja e, daí, o que era para ser pura diversão, pode se transformar em um problema.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Em plena Copa do Mundo de Futebol, é importante entender a importância desse fenômeno que mobiliza o mundo inteiro.

*Por Jamil Albuquerque

Entre as coisas menos importantes do mundo, o futebol é a mais importante. É mais do que um esporte, é um dos maiores fenômenos sociais do planeta. Trata-se de um amálgama pancultural, social e econômico. A paixão pelos clubes frequentemente supera, em alguns casos, até mesmo a devoção religiosa, e a adoração do público em relação a alguns jogadores pode até mesmo parar guerras.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Marcelo Fernandes Magalhães da Rocha

Advogado mestre em Direito Privado. Sócio da

Gontijo & Magalhães da Rocha – Direito da Medicina.

(www.gontijomrocha.com)

Desde a ditadura militar, o regime de trabalho nas universidades federais prevê a dedicação exclusiva como regra para a atividade docente focada no ensino, pesquisa e extensão.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

*Rodrigo Karpat

Garagem é motivo para uma série conflitos em condomínios. Apesar de ter a garantia de segurança e comodidade, muitos condôminos transformam a vida em comunidade em uma grande dor-de-cabeça quando o assunto é a vaga para estacionar seu veículo. Entre os principais problemas estão: vagas compartilhadas, estacionamento em locais errados, utilização desses espaços por não moradores, carros maiores do que o local disponível, furtos, danos e amassados causados por vizinhos, guarda de motos e automóveis juntos, etc.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Por Marco Aurélio Poffo e Guilherme Kim Moraes

As contribuições previdenciárias incidentes sobre os serviços prestados por cooperativas de trabalho encontram hipótese constitucional no art. 195, “I”, alínea “a” da Constituição Federal, o qual elenca como sujeitos passivos dessa obrigação o empregador, a empresa, e a entidade empresarial, e podem incidir, em relação a estes sujeitos, sobre a “folha de salários e demais rendimentos do trabalho pagos ou creditados, a qualquer título, à pessoa física que lhe preste serviço, mesmo sem vínculo empregatício”.