Deputado Estadual Pinduca (PP) (Foto), “mantém” e comanda associação comunitária 

clinica fisioterapia pinduca

O Grupo Especial de Promotores do Patrimônio Público (GEPP), agora está investigando também além de dezenas de ONG´s de Betim, a Associação dos Moradores dos Bairros Santa Cruz, Vila Cemig e Vila Jataí. As irregularidades investigadas pelos promotores estaduais, começaram em 2007, as entidades receberam recursos dos cofres federais, em convênios com a Prefeitura de Betim. 

O deputado estadual Pinduca, pertence ao grupo político do prefeito de Betim, Carlaile Pedrosa (PSDB) e de seu irmão deputado federal Ciro Pedrosa (PV).
A associação comunitária de Pinduca fez um convênio com a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), onde prevê a destinação de mais de R$ 1,3 milhão para a manutenção de escolas de informáticas, porém com o nome de “Escola de Informática do Pinduca” as “escolas”, estão espalhadas por toda cidade de Betim, os alunos reclamam de que sempre em véspera de eleições o deputado Pinduca abre essas escolas e em seguida às eleições a escola some da noite para o dia, sem deixar vestígios.
No bairro Vianópolis uma das “escolas de Informática” do deputado foi inaugurada com muita festa, e logo após as eleições os alunos chegaram para as “aulas” e deram com a porta fechada, os computadores e mesas, tinham sidos retirados durante a noite pela equipe do deputado estadual Pinduca. Nem o dono do imóvel ficou sabendo e ainda reclama de que o deputado “fugiu sem pagar o aluguel”. 
Não é a primeira vez em que as entidades comendadas pelo deputado Pinduca recebem dinheiro público. De outra vez uma entidade do bairro PTB (JardimSanta Cruz) foi autorizada pelo Conselho Municipal de Assistência Social de Betim, a repassar R$ 12 mil reais para compra de verduras, que foram distribuídas pelo deputado como se fosse um presente dele para as mães da região, com direito a faixa de propaganda “Pinduca distribui verduras para as mães do PTB”.
Segundo o Ministério Público, desde o início do ano a entidade é comandada pela família de Pinduca, como várias outras na região.
Parentes do deputado Pinduca, fazem parte da diretoria da associação e constam na ata das reuniões.
As denúncias contras as ONG´s de Betim existem desde o ano de 2004, quando um jornal local “Liberdade” fez as primeiras denúncias que após o fechamento do jornal as denúncias foram continuadas pela TRIBUNA DE BETIM (ver matérias relacionadas).