A suspeita é que os alunos passaram mal após ingerir leite na instituição; eles foram levados para o hospital com mal-estar, vômito e palidez

escola municipal jose salustiano lara 27062018145731460

Escola fica no bairro Bandeirinhas, em Betim (MG)

Treze alunos de uma escola municipal de Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, foram levados para o hospital com intoxicação alimentar, na manhã desta quarta-feira (27). A suspeita é de que eles passaram mal após ingerir um leite fornecido pelo colégio.

Os estudantes da Escola Municipal José Salustiano foram levados para Upa (Unidade de Pronto Atendimento) Sete de Setembro. Todos eles apresentavam queixas de mal-estar, vômito e palidez. O quadro deles já está estável, mas algumas crianças apresentam desidratação e estão recebendo soro.

 

A atividade que é gratuita e aberta ao publico, busca a valorização dos músicos e a integração da comunidade da região rural de Betim

Para animar à noite de sexta-feira dos moradores de Betim, o Instituto Ramacrisna promove no próximo dia 29 de junho, a partir das 19h30, mais uma edição da sua roda de viola. O evento tem entrada gratuita e acontecerá no Centro Cultural Ramacrisna, que fica na Rua Mestre Ramacrisna, 379, bairro Santo Afonso. O objetivo da iniciativa é preservar a cultura local, a música de raiz e valorizar um dos principais símbolos da música popular brasileira, a viola.

A programação que está bem diversificada e promete agradar a todos os públicos contará com a presença dos músicos Pedro Alvarenga; Marcelo Borges; Anastácio e Léo Serra Negra; Zé Pascoal, João Viola e Luiz Paixão; e Sergio & Luis. Para a Solange Bottaro, Vice presidente do Ramacrisna será um momento de muita alegria e lembranças do velho e bom interior.

Além da roda de viola o evento vai contar também com barraquinhas de comidas típicas, como caldos diversos, quentão, churrasquinho, entre outros.

O Instituto Ramacrisna

Criado pelo jornalista Arlindo Corrêa da Silva, o Ramacrisna desenvolve, há 59 anos, projetos culturais, educacionais, aprendizagem, profissionalizantes, entre outros, voltados para a comunidade em situação de vulnerabilidade social de Betim e dez cidades do entorno. O nome do instituto é uma homenagem ao filósofo indiano Sri Ramakrishna, ecumenista que viveu no século 19 e pregava o trabalho social como forma de transformação do ser humano. A Ramacrisna se tornou conhecida em todo o Brasil como instituição do Terceiro Setor referência em projetos de autossustentabilidade por possuir uma Fábrica de Telas de Arame. O resultado obtido com as vendas é destinado ao setor social da Ramacrisna, garantindo mais autonomia e uniformidade no atendimento às pessoas amparadas pelos projetos.

A Ramacrisna ainda coleciona, desde a sua fundação, diversas premiações renomadas, entre elas as mais recentes: o selo "Melhores ONGs" promovido pela Revista Época e Instituto DOAR que leva em consideração critérios como a gestão e transparência da Instituição, a certificação internacional "GreatPlacetoWork (GPTW)", que reconhece os melhores lugares para se trabalhar e o Prêmio Itaú-Unicef na categoria Grande Porte Regional Belo Horizonte, com o projeto "Escola Integral", que busca o desenvolvimento integral dos alunos, acreditando na educação como uma ferramenta de transformação. O prêmio é considerado o maior do Brasil no campo da educação como chancela da UNICEF – Fundo das Nações Unidades Para a Infância.

SERVIÇO

INSTITUTO RAMACRISNA PROMOVE RODA DE VIOLA GRATUITA EM BETIM

Data: 29 de junho de 2018

Horário: 19h30

Local: Centro Cultural Ramacrisna – Instituto Ramacrisna (Rua Mestre Ramacrisna, 379, Santo Afonso/ Betim)

 

Instituto Ramacrisna

Rua Mestre Ramacrisna, 379, Santo Afonso Betim/MG

Telefone: (31) 3438-5500

www.ramacrisna.org.br


Betim é o sexto município da Grande BH na lista dos ataques. Pelo menos oito ônibus foram depredados na capital e cidades vizinhas.

onibus 415 04044 28 05 2012
Foto: Daniel Oliveira

No final da última noite dessa quarta-feira (13/06/2018), mais um ônibus foi incendiado, dessa vez em Betim.
Segundo bombeiros, foram atingidos pelo fogo uma árvore, um ponto de ônibus e um outro veículo abandonado no local.

A Polícia Militar fechou o trânsito nas duas faixas da pista até o término do trabalho dos bombeiros.

O motorista contou à polícia que foi rendido por cinco homens armados e encapuzados no ponto final da linha 415 (São Caetano/Centro de Betim), depois da última viagem do dia.
Foi obrigado seguir com o ônibus até a via expressa próximo ao bairro Capelinha, aonde foi obrigado descer e os criminosos colocaram fogo no ônibus.
 
“Eles portavam um galão de 20 litros de combustível e determinaram que o motorista viesse até esse local aqui. Espalharam o combustível, atearam fogo e fugiram em sentido ignorado ao do motorista”, disse o tenente Edimilson Rodrigues Martins.

“Eles não tiveram esse cuidado até de querer fazer algo escondido, então a audácia dos criminosos, chegou a esse ponto... então é importante a comunidade participar com a gente porque a polícia sozinha não vai conseguir chegar até esses infratores. Mas a comunidade tem um papel fundamental, pode fazer essa denúncia, essa pessoa não vai ser identificada, é um trabalho totalmente anônimo”, explicou o tenente.

O policial militar disse ainda que se caso alguém tenha alguma informação, pode acionar os números 190 e 181.

Desde o dia 3 de junho, em 41 cidades, foram incendiados ao todo 70 ônibus em Minas Gerais.

Ataques desde domingo (3) Belo Horizonte e Região

Belo Horizonte - 3 ônibus atacados
Betim - 1 ônibus incendiado
Ribeirão das Neves - 2 ônibus atacados
Sabará - 1 veículo particular incendiado
Santa Luzia - 1 ônibus atacado
Vespasiano - 1 ônibus atacado
Noroeste

Brasilândia de Minas - 1 ônibus incendiado
João Pinheiro - 1 micro-ônibus incendiado

Centro-Oeste

Lagoa da Prata - 2 ônibus atacados
Luz - 4 veículos incendiados

Alto Paranaíba

Araxá - 2 ônibus atacados e cinco carros atacados
Patos de Minas - 1 ônibus atacado
Sacramento - 1 ônibus atacado

Triângulo Mineiro

Campo Florido - ataque à recepção da Câmara Municipal
Frutal - 1 caminhão incendiado
Iturama - 1 ônibus incendiado
Uberaba - 8 ônibus atacados, 1 carcaça de caminhão incendiada, 2 agências bancárias atacadas, 1 caminhão de lixo incendiado, dois veículos do Centro Operacional de Desenvolvimento e Saneamento de Uberaba (Codau) incendiados, fogo em quatro vias e 1 rádio atacada por coquetel molotov
Uberlândia - 10 ônibus atacados, 1 agência bancária e 1 agência dos Correios
Tupaciguara - 3 ônibus de viagem incendiados, 2 tratores incendiados

Sul de Minas

Alfenas - 3 ônibus atacados e 1 base da PM do Meio Ambiente atacada
Alterosa - 1 caminhão de lixo incendiado
Brazópolis - tiros contra 1 delegacia e 1 viatura
Cruzília - tiros contra 1 delegacia
Guaxupé - 6 ônibus atacados
Itajubá - 3 ônibus atacados
Itanhandu - 1 ônibus incendiado
Machado - 1 ônibus atacado
Monte Santo de Minas - 2 ônibus escolares atacados
Ouro Fino - veículos incendiados
Passa Quatro - 1 ônibus incendiado
Passos - 3 ônibus atacados; 1 caminhonete incendiada, 1 motorista agredido
Poços de Caldas - 2 ônibus atacados; incêndio em galpão de reciclagem
Pouso Alegre - 3 ônibus atacados
Santa Rita do Sapucaí - 1 caminhão atacado
São Bento Abade - 3 ônibus escolares
São Lourenço - 1 ônibus atacado, ataque à casa de um policial militar atacado
Três Corações - 1 ônibus atacado
Três Pontas - 1 carro incendiado
Varginha - 1 ônibus e uma viatura atacadas
Cambuí - 1 agência bancária
Lavras - 1 ataque à base da Polícia Militar

 

 

O Instituto Ramacrisna está com inscrições abertas para curso profissionalizante de Mecânica de automóveis. O curso é gratuito e o estudante recebe todo o material didático digitalizado e uniforme sem nenhuma cobrança de taxa. Para se candidatar a uma das vagas é preciso ter no mínimo 16 anos e ter ensino fundamental completo. As aulas têm início no dia 16 de julho e se estendem até o dia 14 de dezembro. As aulas acontecem no turno da tarde, das 13h às 17h, ou à noite, das 18h às 22h, totalizando 400 horas/aula.Os interessados podem se inscrever pelo site www.ramacrisna.org.br, onde também é possível obter mais informações.

SERVIÇO

 

RAMACRISNA ABRE INSCRIÇÕES PARA CURSO PROFISSIONALIZANTE DE MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS

 

Processo Seletivo: Prova e entrevista no dia 09 de julho de 2018, às 8h ou às 13h no Ramacrisna, trazendo original da carteira de identidade, lápis, caneta e borracha.

 

MECÂNICA DE AUTOMÓVEIS

Vagas: 30 por turma

Preço: Gratuito

Turno: tarde e noite

Aulas: de 16/07 a 14/12

Instituto Ramacrisna

Rua Mestre Ramacrisna, 379

Santo Afonso – Betim

https://www.ramacrisna.org.br

O parlamentar foi condenado duas vezes pela fraude em licitações para a compra de ambulâncias para municípios mineiros

CABO JULIO

O deputado estadual mineiro Cabo Júlio (MDB) pode ser preso a qualquer momento por causa da condenação na chamada Máfia dos Sanguessugas. Dois ofícios determinando a execução provisória das penas às quais ele foi condenado em segunda instância foram emitidos nessa quarta-feira (6) pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

O parlamentar foi condenado duas vezes pelo envolvimento em um esquema de fraude em licitações de municípios para a compra de ambulâncias com verbas do Ministério da Saúde. 

A condenação por improbidade administrativa lhe impõe quatro anos de reclusão e 40 dias multa. 

Em outubro de 2016, Cabo Júlio foi condenado mais uma vez a pena de seis anos de detenção em regime semiaberto e ao pagamento de mais 50 dias-multa à proporção de um salário mínimo de 2006.

As investigações do Ministério Público apontaram Cabo Júlio como autor de 20 emendas orçamentárias para 18 municípios mineiros que se comprometiam a direcionar as licitações a favor de determinadas empresas. 

Segundo a decisão do desembargador Ney Bello , o então deputado federal seria um dos cabeças do esquema. No relatório ele aponta que Cabo Júlio “percebeu vantagem paga em virtude de sua atuação na proposição de emendas orçamentárias em beneficio de interesse da organização criminosa e fraudou caráter competitivo de processo licitatório ao impor que empresa integrante do grupo criminoso – máfia dos sanguessugas – se sagrasse vencedora em licitação”.

O deputado Cabo Júlio foi procurado por meio de sua assessoria mas ainda não retornou ao jornal

Outro lado

Em nota, o deputado Cabo Júlio disse estar à disposição da Justiça “logo o ofício de início da execução chegue em BH”, mas informou estar interpondo recurso neste momento para reformar a decisão. Segundo o parlamentar, a decisão o pegou de surpresa. “O que nos causa muita estranheza é que um dos processos já está inclusive prescrito”, diz.


Leia a íntegra da nota:

"No ano de 2002, ou seja, 16 anos atrás, o Deputado Cabo Júlio recebeu de doação de campanha de um empresário do MT, cerca de 100 mil reais de um dos maiores empresários do ramo de ambulâncias do País. Essa doação não foi declarada e logo, se tornou ilegal.

4 anos depois, em 2006, este empresário foi preso pela operação da PF chamada “operação sanguessuga”. Todos os parlamentares que receberam recursos suspeitos , sem declarar foram processados.

Em varios processos foram ouvidos prefeitos, vereadores, presidentes e membros de comissão de licitação. Em nenhum dos mais de 10 processos e mais de mil audições nenhuma pessoa ouvida declarou ter dado ou recebido 1,00 sequer do Deputado Cabo Julio. Em todos os processos o parlamentar não tinha envolvimento político com nenhuma das cidades

Ainda assim, a Justiça Federal entendeu ser corrupção receber recursos de fraudadores de licitações mesmo sem comprovar a participação de quem recebeu. “Receber recursos dos empresários é se beneficiar do esquema”, mesmo não tendo sido comprovado a participação.

É a primeira condenação, pois a ação originária é do TRF por se tratar de prerrogativa de foro.

Nos pegou de surpresa a ordem de execução provisória pois:

1 -  Nem  ao menos se assegurou ao paciente o duplo grau de jurisdição. A CR /88 assegura minimamente o duplo grau de jurisdição que é a confirmação ou não de uma sentença de uma única decisão.

2 - Embora a sentença combatida seja do TRF (0rgao colegiado) inexiste sentença de Juiz singular anterior ao julgamento por aquele Órgão Colegiado. 

3 -  São dois processos. Em um deles a pena aplicada foi a prestação de serviços. Nunca houve aplicação de execução provisória de pena de prestação de serviços.
No outro processo a pena foi de 67 meses detenção em regime semi aberto, que está sob apelação.

O QUE NOS CAUSA MUITA ESTRANHEZA É QUE UM DOS PROCESSOS JÁ ESTÁ INCLUSIVE PRESCRITO

Estamos neste momento interpondo recurso por saber que decisão seja reformada.

O Deputado Cabo Júlio estará a disposição da justiça logo o ofício de início da execução chegue em BH."



Uai


LEIA TAMBÉM:

Prefeito de Betim tem como de sua confiança um condenado na Máfia das Ambulâncias