Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Marido da vítima é suspeito de ter cometido o crime; eles teriam se desentendido por causa do preço de uma obra

bairro vila real ibirite 08032018131437855

Caso aconteceu no bairro Vila Real, em Ibirité (MG)

Reprodução / Google / Street View

Uma idosa, de 67 anos, morreu esfaqueada na noite dessa quarta-feira (7) em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O marido dela é o principal suspeito do crime. De acordo com informações da PM (Polícia Militar), o casal se desentendeu por causa do orçamento de uma obra na casa da família.

Eles planejavam a construção de um muro, mas o homem discordou do valor apresentado pela companheira. Maria Rita Bicudo de Freitas foi atingida com quatro golpes de facão na cabeça. O suspeito do assassinato, A. L. F., também de 67 anos, tentou fugir, mas foi preso pelos militares.

A polícia informou que, ao chegar na residência, militares depararam com a vítima com diversos cortes na cabeça e caída no chão da sala. Havia muito sangue no local e um facão estava ao lado da idosa. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, mas a vítima já estava sem vida.

A. L. F tentou fugir pelos fundos da casa, mas foi encontrado pelos policiais embaixo de uma árvore. O suspeito do crime, que no momento da prisão apresentava sinais de embriaguez, relatou aos militares que foi agredido por populares. Ele foi socorrido para o Hospital de Ibirité e, posteriormente, encaminhado para a Delegacia de Plantão de Betim, na Grande BH, onde a ocorrência foi encerrada.

A filha do casal relatou aos PMs que o pai ameaçava a mãe dela constantemente.



R7

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Nas imagens aparentemente gravadas com telefones celulares, eles reclamam das condições do presídio. Seape apura o caso

 

Presos da Penitenciária Nelson Hungria divulgaram vídeos com imagens de fogo nas celas, registradas na noite deste sábado (27), por celulares de dentro da unidade carcerária. No material, que foi replicado nas redes sociais e em aplicativos de mensagens, eles denunciaram a falta de água no presídio e alegaram que seria um “castigo coletivo” pela fuga de oito presos confirmada no sábado pela Secretaria de Administração Prisional.

 

Em um dos vídeos, dois presos com o rosto coberto denunciam a “negligência” com o presídio. O preso diz que não havia água para lavar a cela ou “dar baixa” nas necessidades.  “Hoje tinha criança chorando no pátio querendo água pra beber e eles não liberou água pra nós não (sic)”, diz. "Morrer de sede? Melhor morrer de fogo!", diz outro preso, em mais um vídeo gravado no presídio, que mostra chamas em cobertores no pátio.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, William Santos, confirmou a autenticidade das imagens, que foram repassadas a outra advogada depois das 18h. Segundo ele, familiares de presos também confirmaram a situação de falta de água. “Em um calor desses o sujeito ficar preso em uma cela imunda lotada, não quer que fique revoltado? Estamos achando que se trata de um ‘castigo aos presos pela fuga recente de oito deles”, disse.

Santos informou ter conversado com o procurador Rômulo Ferraz sobre a situação e que ele agiu, controlando a rebelião. Para o presidente da CDH da OAB, se o problema fosse desabastecimento, a penitenciária poderia ter resolvido com um caminhão pipa para fornecer a água para os presos. “Pesquisas feitas pela advogada Cristina Paiva, membro da comissão, dizem que não é verdade que faltou água na região”, disse Santos.

William Santos tornou os vídeos públicos e usou as redes sociais para divulgar o teor da conversa que teve com o procurador Rômulo Ferraz. Nela, o procurador diz ter comunicado a situação ao promotor responsável pela área de execuções penais. “Ele (Ferraz) tomou as providências para corrigir as falhas e a má vontade por parte dos agentes ou de quem quer que seja. Porque até duvido que o Dr. Cavalieri (Wagner Cavalieri, juiz da Vara de Execuções Criminais de Contagem), que é uma pessoa séria, tenha autorizado isso. Acreditamos que a situação está controlada”, disse. 

NelsonHungria fogo rebeliao janeiro 2018

A Secretaria de Administração Prisional informou que as imagens estão sendo investigadas para verificar se realmente são de dentro do presídio ou partiram de lá. Também ressaltou que não são permitidos aparelhos de telefone  no local e que a Penitenciária Nelson Hungria tem bloqueadores de sinal que impediriam essa divulgação. Sobre o desabastecimento, a Seap informou que faltou água na instituição neste sábado porque “faltou água no bairro inteiro, em Nova Contagem, mas a situação foi reestabelcida às 17h”. De acordo com a assessoria, a água pode ter demorado a voltar para os presos em virtude da demora para encher as caixas d’água.

Nos avisos de interrupção de água nos bairros da Copasa, não havia previsão de desabastecimento na região do presídio. Porém, a Copasa, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que houve de fato um problema de bombeamento em Contagem. "A Copasa informa que o abastecimento de água em Nova Contagem foi interrompido, emergencialmente, no sábado (27/01), para manutenção na unidade de bombeamento de água. A normalização do abastecimento ocorreu, de forma gradativa, no final da tarde do mesmo dia (27/01/2018)", diz a nota.



Uai

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

 

 

O projeto visa ampliar a segurança com dez postos avançados, começando pela inauguração da estrutura de Congonhas, ainda em 2017

 

Atento às necessidades e com sensibilidade social, o Governo do Estado, por meio do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG), trabalha para ampliar a cobertura e descentralizar o seu atendimento. Para este objetivo, serão instalados dez postos avançados, estruturas mais compactas e que demandam menos investimentos para implantação.

Atualmente, a corporação está presente em 63 municípios mineiros, por meio de companhias e batalhões, nos 17 territórios de desenvolvimento. Para essa expansão, em parceria com as prefeituras, O CBMMG propôs uma estrutura mínima operacional denominada Posto Avançado de Bombeiros Militar (PABM), inovando no conceito de atuação para atender de forma mais eficaz às demandas de sinistros e desastres.

Municípios prontos para receber os bombeiros

As novas unidades disponibilizadas pelos municípios são frações que demandam prédios mais simples, adaptados à realidade de cada lugar. Por isso, não há um padrão de imóvel exigido. Há flexibilidade nesse ponto e o Corpo de Bombeiros avalia se atende às necessidades com segurança e, ao mesmo tempo, obedece ao regulamento interno da instituição.

Esse novo modelo foi concebido a partir de um detalhado estudo de viabilidade para atender inicialmente dez municípios, começando por Congonhas (Território Vertentes), cidade cortada pela BR-040, a 70 quilômetros da capital Belo Horizonte. Os demais contemplados nessa etapa são: Mariana, Santo Antônio do Monte, Além Paraíba, Tiradentes, São João Evangelista, Santos Dumont, Almenara, Andradas e Boa Esperança. Ao todo, serão beneficiadas diretamente pelo atendimento 410 mil pessoas nos dez municípios.

Segundo a tenente Andréa Coutinho, da Assessoria de Comunicação Organizacional, o posto avançado é uma novidade na estrutura do Corpo de Bombeiros que possibilita atender bem o cidadão sem grandes instalações, com um número menor de viaturas e de militares.

“Os bombeiros serão capazes de atender a diversas ocorrências, tanto no combate a incêndio, como no atendimento pré-hospitalar, e até mesmo no trabalho de prevenção, que são as vistorias e liberação de projetos. Esse modelo de posto avançado me dá essa gama de atendimento, dentro da tônica do governo de Minas Gerais de atender mais e melhor, em menor tempo”, explica.

Os postos avançados - em pontos estratégicos do estado - vão facilitar a vida da população que terá o Corpo de Bombeiros próximo e acessível para os atendimentos de forma muito mais célere, sem que os profissionais precisem de grandes deslocamentos. Hoje, as companhias e batalhões estão, em média, a 70 ou 80 km dos municípios contemplados, e o fator tempo é considerado primordial para a atividade.

Facilidade de deslocamento e celeridade

A tenente Andrea ressaltou que as negociações com o município de Congonhas foram concluídas para que o posto avançado esteja em funcionamento até o mês de dezembro.

“Congonhas será o nosso start, pois registra grande número de acidentes automobilísticos na rodovia e o socorro rápido é prioridade no atendimento pré-hospitalar. Se atendemos uma vítima de acidente com rapidez e qualidade, podemos dar a ela sobrevida para chegar ao hospital e evitar possíveis sequelas. É a chamada hora de ouro, tempo de ouro”, assegura. 

A celeridade no atendimento se estende também a grandes sinistros como incêndio para um produtor rural ou comerciante. A velocidade dos bombeiros permitirá que as perdas patrimoniais sejam menores, diminuindo os prejuízos da população.

Perfil do estado

Em extensão territorial, Minas Gerais é o quarto maior estado brasileiro, com mais de 560 mil quilômetros quadrados, e o primeiro em número de municípios. A dimensão e localização geográfica implicam diretamente na malha rodoviária, na rede hidrográfica, na diversidade do relevo, nas variações climáticas e na densidade demográfica, segundo o Plano de Comando 2015-2026 do CBMMG.

O estado se destaca por suas especificidades e requer do Corpo de Bombeiros estratégias multifacetadas que atendam as mais complexas necessidades. Como desdobramento, a atuação se dá em ocorrências que envolvem emergências ambientais, salvamentos, atendimento pré-hospitalar, acidentes aquáticos, incêndios florestais, entre outros.

Ainda, segundo o Plano de Comando, as demandas em ocorrências de desastres naturais vêm aumentando nos últimos anos, motivados por instabilidades atmosféricas severas, que resultam em perda de vidas e bens, com inúmeros prejuízos ao meio ambiente e, consequentemente, à sociedade.

Desastres naturais recorrentes

Minas Gerais sofre anualmente com a escassez das chuvas. Somente neste ano, foram 266 municípios em situação de emergência. Entretanto, o excesso, em virtude das precipitações concentradas em períodos curtos também causam problemas. Os efeitos adversos relacionados a esse fenômeno, as inundações, muitas vezes, ocorrem associadas a tempestades e vendavais, podem desencadear outros eventos, que potencializam o efeito destruidor.

Com a criação dos postos avançados, o Governo do Estado trabalha na expectativa de deixar o cidadão mais seguro em relação às ações de combate à seca e às ações nos períodos de chuva intensa com possíveis alagamentos, quedas de árvores, deslizamentos, descargas atmosféricas (raios), entre outros.

Referência

Há quase uma década, o Corpo de Bombeiros se mantém no topo das pesquisas que medem a confiança da população nas instituições. Os seus homens e mulheres trabalham com a delicada tarefa de zelar pela segurança do cidadão e de salvar vidas, especialmente, em situação extremas.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

 

Evento realizado neste sábado, dia 11, convoca a todos para irem de branco

 

O Show da Virada desembarca na Esplanada do Mineirão, em Belo Horizonte, no próximo sábado, dia 11, com um time de peso da música brasileira. Chitãozinho e Xororó, Jorge e Mateus, Luan Santana, Simone e Simaria e Wesley Safadão vão levantar a galera numa festa imperdível que será exibida pela Globo, no dia 31 de dezembro, sob direção artística de Raoni Carneiro. Ainda sobem ao palco do evento Alok e Matheus e Kauan. A corrida pelos ingressos segue a todo vapor e o público, vestido de branco, poderá escolher entre quatro diferentes espaços para viver essa experiência de réveillon antecipado.

Quem gosta de curtir o show no meio da galera, pode garantir o seu lugar na pista.  O espaço contará com banheiros exclusivos além de uma praça de alimentação, com opções de pizza, cachorro quente, pastel, churros, e diversos tipos de bebidas (refrigerante, cerveja, água de coco e bebidas em dose).

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Atualizado em 05/10/2017 - 14h18

Quatro pessoas morreram e vinte duas ficaram feridas, sendo nove em estado grave, após um homem atear fogo em alunos do Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente, em Janaúba, no Norte de Minas. O autor do crime é um ex-segurança da unidade, Damião Soares dos Santos, demitido há pouco tempo.
O homem entrou no local e, dentro de uma sala, trancou as crianças, de que têm de 2 a 4 anos, e a professora, ateou fogo em todos e no próprio corpo. Ele é uma das vítimas em estado grave.

Um vizinho da creche que ajudou a socorrer os feridos relata que estava em casa quando soube do incêndio e pegou o carro para tentar salvar os feridos. "Levei um bocado de gente queimada, criancinha de 5, 4, 3 anos de idade. Horrorosa uma coisa dessas. Não sei como um ser humano tem a mentalidade de fazer uma desgraça dessas com as pessoas. Tinha gente desesperada. É sem palavra, é sem palavra", declarou, emocionado.

Segundo a assessoria do Hospital Regional de Janaúba, 40 pessoas feridas, entre crianças e adultas, foram levadas para a unidade. Corpo de Bombeiros, Samu e Polícia Militar ajudam no socorro. Aeronaves do governo estadual foram deslocados para a cidade para levar os feridos graves para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, referência no atendimento a queimados em Minas, onde equipes já estão mobilizadas.

Hospitais de Montes Claros, no Norte de Minas, também recebem os feridos. Médicos e enfermeiros da região foram convocados para ajudar no atendimento às vítimas. A direção do hospital de Janaúba pede doação de vários materiais, como luvas de procedimento, faixas, ataduras e soro fisiológico.

Em nota, o governo estadual afirma que colocou todas as aeronaves à disposição para transporte das vítimas, e que o governador Fernando Pimentel irá ao local ainda nesta tarde.