Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Especialista da Trouw Nutrition destaca que o escore das vacas ao parto e durante a estação de monta são determinantes para o sucesso da cria.

‘’A estação de monta já começou e agora é o momento de ‘plantar’ os bezerros que iremos ‘colher`, ou seja, desmamar em 2023. Agora é hora de voltar o foco para a cria”, destaca João Benatti, gerente de produtos para Ruminantes da Trouw Nutrition.


trouw_Nutrition.jpg

Uma medida muito conhecida e determinante para o sucesso da cria é Escore de Condição Corporal (ECC), que classifica o animal por meio de uma avaliação visual. “As chances da vaca emprenhar são maiores quando o ECC está adequado. Quando você olha o animal de lado e consegue identificar todas as costelas, classificamos ela como ruim (ECC abaixo de 3 em uma escala de 1 a 5). O bom é quando no máximo as duas últimas costelas estão aparentes, esse é o ECC 3. A partir daí teremos um animal com maior chance de emprenhar”, reforça Benatti.

O especialista da Trouw Nutrition destaca que uma vaca que vai ser emprenhada precisa estar bem. No melhor dos casos ela precisa estar ganhando peso. “Após parir ela começa a produzir leite, o que reduz seu ECC e logo depois ela entra na estação de reprodução. Com isso, é importante fazer ela parir bem para que, mesmo após essa perda, ainda esteja com ECC adequado. Nós sabemos que as vezes as coisas saem do controle e a vaca acaba parindo magra, entrando em estação com ECC inadequado. Nesse cenários precisaremos ajudá-la com uma suplementação proteico ou proteico energética para evitar que a taxa de prenhez seja muito ruim.

“A estação reprodutiva deve começar a ser preparada lá na desmama do bezerro, quando ela para de produzir leite e podemos recuperar seu ECC. O animal precisa passar a seca sem perder peso para parir com bom escore, resultando em uma boa vaca na estação de monta. Mas para esse ano já não é mais possível fazer isso, então temos que pensar como ajudar essa vaca magra a emprenhar”, indica o gerente da Trouw Nutrition.

João Benatti alerta que a alta taxa de prenhez não é conquistada de uma hora para outra, mas sim construída por meio do manejo e de ajustes na dieta. “O trabalho é diário, mas o resultado vem na forma de mais prenhezes e bezerros com alto ganho de peso”.


Copyright © 2021 Tribuna de Betim - Notícias. Todos os direitos reservados.
Grupo BEZ Tecnologia e Soluções. Betim - MG - Brasil