Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa


 

A Doença Renal Crônica (DRC) é uma doença progressiva que acomete os rins impedindo que eles exerçam suas principais funções: equilibrar as substâncias químicas, manter os ossos calcificados e controlar a produção de glóbulos vermelhos. De maneira geral, existem três explicações para sua origem: doenças primárias dos rins, doenças sistêmicas que também acometem os órgãos e patologias do trato urinário ou urológico.

Segundo a organização global do Dia Mundial do Rim (World Kidney Day), entre 8 e 10% da população adulta possui algum tipo de dano nos rins, e a cada ano milhões de pacientes morrem prematuramente de complicações em decorrência de DRC. A doença não apresenta sintomas específicos, o que dificulta o rápido e preciso diagnóstico. Uma das ferramentas para evitar isso, entretanto, é a radioatividade presente nos exames da chamada Medicina Nuclear.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Benefício também atinge as mães, prevenindo 20 mil mortes por câncer de mama

 

Realizado a pedido da Organização Mundial da Saúde (OMS), o primeiro estudo que mapeou os padrões globais do aleitamento materno e os relacionou com a preservação da saúde de crianças e mães é o segundo colocado da 17ª edição do Prêmio Péter Murányi.

 

O trabalho, indicado pelo CNPQ (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) demonstra ainda o caráter cumulativo dos benefícios trazidos pela amamentação, como a proteção contra a mortalidade infantil, redução das hospitalizações por doenças infeccionas na infância e a má-oclusão dentária, bem como aumenta a inteligência, e reduz a ocorrência de sobrepeso e diabetes

 

De autoria do médico epidemiologista Cesar Victora, professor emérito da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), a pesquisa avaliou dados vindos de 153 países, de 1995 a 2014, concluindo que o leite materno, em nível quase universal, poderia prevenir 823 mil mortes de crianças menores de cinco anos, por ano. Assim como, no mesmo período, evitaria 20 mil falecimentos por câncer de mama.

 

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

 

Mamografia, ultrassom ou ressonância: qual é o exame mais assertivo quando o assunto é câncer de mama?

Em 8 de março é comemorado internacionalmente o Dia da Mulher. Nunca se ouviu tanto falar do empoderamento feminino, afinal, elas são livres para escolher o que querem fazer, como se comportar, como amar entre tantos outros estigmas que vem sendo superados a cada dia. As mulheres podem tudo. Mas não podem se descuidar da saúde. Por isso, o Grupo SOnHe - Sasse Oncologia e Hematologia formado por médicos oncologistas com sua campanha permanente Lugar de Mulher é Onde Ela Quiser aproveita a data para enfatizar sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama e a importância da realização de exames de imagens. Descobrir o câncer de mama no estágio inicial garante chances de cura muito perto de 100%. Quem vai esclarecer sobre as diferenças entre mamografia, ultrassom e ressonância magnética é o oncologista Rafael Luiz do Grupo SOnHe – Sasse Oncologia e Hematologia. Confira:

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

São Paulo: Ação será realizada nos Laboratórios São Marcos, na RMBH, e Lab Hormon, no ABC Paulista

No dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher e Dia Mundial da Saúde do Rim, o Grupo São Marcos oferece exame gratuito de creatinina para mulheres com mais de 20 anos de idade. A ação será realizada apenas na data, em todos os laboratórios São Marcos (RMBH) e Lab Hormon (ABC Paulista), de acordo com os horários de funcionamento de cada unidade. Serão disponibilizados, ao todo, 2.900 exames.

O objetivo da ação é enfatizar a importância que cada mulher deve dar ao seu corpo, preservando sua saúde e bem-estar, apoiando, ainda, as campanhas da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) e da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica (SBN), cujo tema deste ano é “Saúde da Mulher – Cuide de seus rins”.

Segundo relatório desenvolvido pela Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN – sigla em inglês), uma em cada 10 pessoas sofre de doença renal crônica (DRC) no mundo. Porém, até 90% dos afetados não sabem que têm perda na função dos rins. De acordo com a diretora médica do Grupo São Marcos, Dra. Mariana Cerqueira, o exame de creatinina é um dos mais solicitados pelos médicos. “Ele verifica a quantidade da substância no organismo, por meio da coleta do sangue ou mesmo pela urina. Quando ultrapassa os valores de referência, que podem mudar de acordo com o sexo, a idade e o peso, a creatinina pode indicar que os rins não estão fazendo o papel de filtragem eficaz, o que sinaliza uma possível insuficiência renal”, explica.

Serviço:

Dia Internacional da Mulher e Dia Mundial da Saúde do Rim

Exame de creatinina gratuito

Local: Unidades Laboratório São Marcos (RMBH) e Lab Hormon (ABC Paulista)

Data: 8 de março

Público: exclusivo para mulheres acima de 20 anos

Jejum não obrigatório

Número de exames limitados.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

 

No mês da mulher, especialista alerta sobre os principais problemas, cuidados e prevenção

cancerdeutero2018

CURITIBA, 06/03/2018 – Nesta quinta-feira, dia 8 de março, será celebrado o Dia Internacional da Mulher, data reconhecida mundialmente, transformou-se um ótimo momento para a reflexão, ainda mais quando envolve cuidados com a saúde. Afinal de contas, na correria do mundo moderno, fica cada vez mais difícil tirar alguns minutos do dia para cuidar da saúde, ainda mais quando tratamos das mulheres, que geralmente cumprem a famosa “dupla jornada”.

Segundo a Dra. Márcia Araújo, ginecologista do Docway, as múltiplas funções da mulher e a falta de tempo para cuidar com atenção da saúde acabam por aumentar o número de casos de doenças como Câncer de Mama, Depressão e Câncer de Colo de Útero. Por isso, a especialista alerta sobre a importância dos cuidados mesmo com essa rotina agitada.

“Após muita luta, nosso papel na sociedade está evoluindo muito. Hoje, nós mulheres desempenhamos várias funções e acabamos descuidando da saúde. O que não pode acontecer é a negligência com os cuidados pessoais. Com os avanços tecnológicos e as facilidades que eles nos trouxeram, podemos manter nossa rotina e o acompanhamento médicos em dia, evitando vários problemas”, explica a especialista.

Confira uma análise da especialista sobre as três doenças que mais afetam as mulheres atualmente:

Câncer de Mama

Esse tipo de câncer é o que mais comum entre mulheres no Brasil e no Mundo, correspondendo a 25% de novos casos de câncer todos os anos. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), no ano passado, os casos de câncer de Mama ultrapassaram a casa de 57mil no Brasil. O câncer de mama tem diversos tipos. Na maioria deles, quando diagnosticados em fases iniciais, é passível de tratamento, com boas perspectivas de cura.

“Nós mulheres devemos estar atentas, pois fazer os exames preventivos é fundamental. A maioria dos casos não têm sintomas em estágios iniciais. Por esse motivo, a mamografia tem grande importância. Dentre os sinais de alerta, um dos mais comuns é o nódulo no seio, que pode vir acompanhado ou não de dor. Porém, existem outros sintomas que devem chamar a atenção como secreção no mamilo, alterações na pele que recobre a mama e nódulo na axila. Vale lembrar que o autoexame não substitui a mamografia e o exame clínico cuidadoso feito por um profissional qualificado”, detalha a Dra. Márcia Araújo.

Depressão

Estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) alertam que até o ano de 2020 a depressão será a doença com maior impacto no mundo. Aqui no Brasil, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) estima que uma faixa de 20% da população teve, têm ou terá um episódio em algum momento de sua vida. Falta de interesse, concentração, perda da autoestima e mudanças bruscas de humor são alguns dos sintomas da depressão. A doença atinge significativamente mais as mulheres do que os homens. Cientistas e especialistas não têm um real motivo para essa diferença, mas acreditam que ela tem relação com a influência dos hormônios femininos.

“Quadros depressivos devem ser diagnósticos e tratados com muita cautela e por profissionais capacitados. Mas podemos ajudar a melhorar esse quadro com, por exemplo, a prática regular de atividade física e a vinculação da pessoa a atividades coletivas, entre eles cursos e voluntariados. Essas ações ajudam a reduzir a ansiedade, melhora o humor e a interação com o meio social”, comenta a especialista.

Câncer de colo de útero

Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) mostram que esse tipo de câncer é considerado um dos mais importantes problemas de saúde pública do mundo. Só no ano de 2016 foram estimados mais de 16 mil casos novos de câncer do colo do útero no Brasil, o que significa 15 novos casos a cada 100 mil brasileiras. As principais causas da doença são o início precoce da atividade sexual da paciente, a variedade de parceiros sexuais, a higiene íntima inadequada e o Papilomavírus Humano (HPV).

“O câncer do colo do útero tem um grande potencial de prevenção e cura se diagnostico a tempo. Sintomas podem servir de alerta, entre eles sangramento vaginal após a relação sexual, corrimento vaginal de cor escura e com mau cheiro, e em estágios mais avançados, hemorragias, dores lombares e abdominais, perda de apetite e de peso. Uma ótima opção para a prevenção da doença é a vacina, que se destina a jovens, principalmente antes inicias as atividades sexuais. Para todas, o Papanicolau e o exame clínico anual são fundamentais”.

Para finalizar e médica lembra que as melhores formas de cuidado e prevenção são as mais conhecidas, ter uma alimentação saudável, praticar exercícios e ir ao médico regulamente são algumas atitudes básicas para quem busca qualidade de vida e longevidade. Esses cuidados básicos são a melhor forma de prevenir as principais doenças que afetam a saúde da mulher.