Saúde

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Entenda como funciona a dieta e tire suas principais dúvidas sobre o assunto.

O frugivorismo é um estilo de vida que vem ganhando cada vez mais adeptos em todo o mundo.

Crédito da imagem: healthywomen.org

Muitas pessoas acabam se rendendo aos seus benefícios, inclusive atletas de alta performance.

 

Por isso, hoje vamos falar sobre essa famosa dieta, que pode contribuir muito para a saúde física e mental.

 

Pronta para saber mais sobre o assunto? Continue sua leitura até o final!

 

 

O que é frugivorismo?

O frugivorismo é um tipo de dieta considerado por muitos como um verdadeiro estilo de vida.

 

A alimentação consiste na ingestão de alimentos crus, principalmente frutas, vegetais e alguns tipos de oleaginosas e sementes.

 

 

Por que a dieta inclui alimentos crus e naturais?

As comidas cruas naturais (vegetais e frutas) são componentes muito benéficos para o consumo humano. Sua grande quantidade nutricional, associada a vitaminas e sais minerais saudáveis, fazem com que a alimentação diminua a intoxicação corporal e contribua para uma nutrição equilibrada e que proporcione qualidade de vida.

 

 

Essa dieta pode fazer mal para a saúde?

Apesar de não haver contraindicações para a adoção desse estilo de vida, é sempre importante buscar recomendação médica de um nutricionista ou médico nutrólogo caso você deseje seguir a dieta por muito tempo.

 

O mais importante é manter o controle sobre as vitaminas, evitando problemas com desnutrição ou desenvolvimento de quadros anêmicos.

 

De maneira geral, seus benefícios são imensos! Inclusive, muitas pessoas adotam como estilo de vida e passam a vida focando em uma dieta frutívora.

 

Muitos atletas de alta performance também seguem esse estio de vida e compartilham seus benefícios com os seguidores e pessoas que se interessam pelo assunto.

 

Para que você entenda que a dieta pode trazer muito mais pontos positivos do que negativos, que tal conferir os principais benefícios relacionados com a prática?

 

 

 

Quais são os benefícios da dieta?

Como a dieta inclui alimentos vegetais e frescos, a alimentação natural contribui para a adoção de hábitos de vida saudáveis.

 

Geralmente, quem adota esse estilo de vida pratica atividades físicas, dedica mais tempo para a saúde e preza por comportamentos que elevam o bem-estar e contribuem para processos fisiológicos, como exposição solar equilibrada.

 

Devido a tais motivos, a dieta traz como principais benefícios associados:

 

  • Aumento da vitalidade, disposição e energia;

Como o corpo é desintoxicado e só consome produtos naturais, os processos energéticos acabam ocorrendo de maneira mais eficiente, equilibrando todo o organismo e ajudando a aumentar a força vital.

 

 

  • Melhora nos processos de digestão;

As frutas e vegetais consumidos possuem alto teor de fibras. Tal composição permite que as substâncias atuem sobre o intestino, facilitando a trajetória do alimento e contribuindo para a absorção de nutrientes benéficos e eliminação de substâncias prejudiciais.

 

Além disso, há a redução do inchaço e promoção do emagrecimento de forma natural, contribuindo para a aquisição de um corpo enxuto e saudável.

 

  • Desintoxicação corporal;

Os nutrientes provenientes dos alimentos crus costumam desintoxicar o corpo, pois atuam eliminando toxinas e contribuindo para processos metabólicos e digestórios.

 

Estudos científicos mostram que o efeito detox promove não só uma melhora das condições fisiológicas a nível físico, como também contribuição para a saúde mental.

 

  • Clareza mental;

O cérebro também se beneficia com os pontos positivos da dieta frugívora, sofrendo uma verdadeira limpeza e eliminação de toxinas.

 

Com isso, a estrutura cerebral fica mais apta à concentração, foco e clareza mental.

 

  • Promove o emagrecimento;

São inúmeros os fatores da dieta que auxiliam no processo de emagrecimento, como: a ingestão de fibras, a desintoxicação corporal, o consumo de alimentos frescos, leves e sem gorduras industrializadas, dentre uma série de outros fatores.

 

Além disso, os hábitos dos adeptos à dieta costumam ser voltados para a prática de atividades físicas, contribuindo ainda mais para resultados à nível corpóreo.

 

  • Melhora a organização celular;

Como as células ficam livres de toxinas, a maquinaria celular consegue trabalhar de maneira mais organizada e harmônica, contribuindo para uma série de processos fisiológicos.

 

  • Equilíbrio da saúde, mente e corpo;

Como o corpo fica desintoxico, a mente fica mais clara e os hábitos de vida tendem a ser mais saudáveis, isso contribui para uma homeostase corporal incrível.

 

  • Redução dos inchaços;

O consumo de fibras provenientes da alimentação crua contribui para o fluxo intestinal e redução do inchaço abdominal. Com isso, o abdômen tende a ficar mais definido e a silhueta mais enxuta, deixando a estética ainda mais bonita.

 

  • Menores sintomas relacionados com doenças crônicas;

Estudos relatam que o consumo de alimentos naturais reduz os sintomas relacionados com doenças crônicas e podem prevenir o desenvolvimento de quadros de saúde relacionados.

 

 

  • Contribui para a adoção de hábitos de vida mais saudáveis;

A dieta estimula o consumo de frutas e vegetais frescos, que são muito mais benéficos para a saúde do que substâncias industrializadas.

 

Além disso, os adeptos da dieta frugívora tendem a realizar atividades que contribuem para a clareza e saúde mental (como yoga e meditação) e se dedicam à prática de exercícios físicos, seguindo uma alimentação saudável e equilibrada.

 

Quando somados, tais hábitos podem tornar a vida ainda mais saudável, contribuindo com a longevidade e qualidade de vida.

 

Esse é o principal motivo pelo qual muitas pessoas resolvem transformar a dieta em um estilo de vida. Apesar de não ser uma tarefa fácil e que requer bastante esforço e persistência, com certeza pode trazer uma série de pontos positivos para a saúde física e mental.

 

 

  • Prevenção de doenças degenerativas (podendo ser até aliada a tratamentos).

Além das doenças crônicas, processos degenerativos podem ser facilmente prevenidos com a adoção de tal dieta.

 

 

Como iniciar esse tipo de dieta?

Para iniciar esse tipo de dieta, lembre que o aconselhamento é essencial e que você não pode mudar do dia para a noite os seus hábitos alimentares. Por isso, siga os seguintes passos:

  • Procure um profissional qualificado para te acompanhar;

  • Faça exames para avaliar a situação de saúde;

  • Adapte seu cardápio conforme as especificações do nutricionista.

 

Lembre que nessa nova etapa você vai precisar usar a criatividade e caprichar nas novas combinações. Que tal começar a se acostumar com deliciosos sucos de fruta e deixar de lado aquelas bebidas artificiais? Além disso, pense em novas estratégias para substituir o iogurte com frutas. Afinal, as frutas deverão ser a base da sua alimentação, em conjunto com os vegetais, sementes e oleaginosas.

Considerações finais

Agora que você viu como o frugivorismo pode ser um estilo muito benéfico para a saúde, que tal aproveitar seus benefícios e incluir uma dieta como essa em sua vida?

 

Lembre-se que você não precisa ser um adepto do estilo de vida para se beneficiar, mas é importante que você sempre procure um profissional qualificado antes de iniciar a dieta.

 

Gostou do conteúdo de hoje sobre frugivorismo? Comente logo abaixo suas dúvidas – estamos prontos para atendê-la!

Avaliação do Usuário: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

O clareamento dental é um procedimento odontológico estético, com o objetivo de deixar os dentes mais claros. O agente clareador a base de peróxido de hidrogênio ou de peróxido de carbamida, é aplicado sobre a superfície dental e deixado por um determinado tempo de acordo com a concentração do agente clareador. Quando em contato com os dentes o agente clareador começa a atuar quebrando as partículas escuras presentes no dente, deixando assim os dentes mais claros.

Existem dois tipos de clareamento: o clareamento de consultório, e o clareamento caseiro com a supervisão do dentista.

No clareamento de consultório é aplicado sobre os dentes um agente clareador de alta concentração que irá clarear os dentes. Esse procedimento pode ser realizado com ou sem a presença de luz led ou luz laser, em ambos os casos o resultado será o mesmo. Fazemos em média três sessões de uma hora cada. O resultado final é mais rápido do que o clareamento caseiro.

Já no clareamento caseiro, é confeccionado uma moldeira individualizada no formato dos dentes do paciente. O agente clareador é aplicado sobre a moldeira e então a moldeira é levada aos dentes. O resultado final demora em média quinze dias, mas já nos primeiros dias é possível verificar diferença na cor dos dentes. Podemos também fazer o clareamento conjugado, fazendo uma sessão no consultório e continuando com o uso das moldeiras em casa.

 

A sensibilidade dental, é um efeito adverso comum durante o clareamento dental, podendo ser diminuída através do uso de agentes dessensibilizantes e protocolos específicos. Desse modo, a sensibilidade será mínima e o clareamento poderá ser executado normalmente. Hoje em dia com os novos agentes clareadores, a sensibilidade é mínima ou ausente, conforme relatam muitos pacientes.

Estudos recentes mostram que não é mais necessário evitar a ingestão de alimentos corados, como café, refrigerantes a base de cola, e açaí, durante a realização do clareamento dental. O efeito clareador será o mesmo.

Os produtos à base de carvão ativado não devem ser utilizados como clareadores. Eles são altamente abrasivos gerando alteração na estrutura do esmalte dental, podendo levar a sensibilidade elevada.

O clareamento dental deve ser realizado com a supervisão do dentista, pois só ele saberá indicar os melhores produtos e acompanhar a evolução do tratamento. Muitas vezes para se ter o sorriso branco de artistas poderá ser necessário a associação do clareamento dental com outros procedimentos estéticos odontológicos.

 

 

Dr. John Thales Soares Silva

É Cirurgião-Dentista, especialista em Endodontia, e Mestrando em clínicas odontológicas. Pós-graduado em cirurgia oral e cirurgia gengival.

Instagram e Facebook: @drjohnthales

Links: https://www.instagram.com/drjohnthales/

https://www.facebook.com/drjohnthales/

 

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

 

O ecoar do “Sino da Vitória” é um ritual que celebra a superação de pacientes oncológicos do Hospital Felício Rocho, durante o tratamento contra o câncer

Às vezes uma simples atitude serve de motivação para que pessoas possam alcançar um objetivo. Em muitas dessas vezes, o intuito é lutar pela própria vida. Nos corredores do Instituto Felício Rocho de Oncologia, em Belo Horizonte, temos um exemplo tão simples, mas de extrema afetividade, que há dois anos sonoriza vitórias.

Trata-se do ritual do sino, tocado por pacientes que realizaram tratamento contra o câncer e aclamam, através das badaladas, por uma nova fase. “A vida é movida por ciclos e a cada vitória temos que comemorar. Por isso, quando seu tratamento terminar, toque este sino com orgulho para todos anunciar”, é a mensagem impressa logo abaixo do artefato.

Os sentimentos despertados ao final da quimioterapia, como a sensação de vitória, de conquista e de superação física e emocional, assim como a gratidão, são lembrados ao tocar o sino. Para a psicóloga do Instituto de Oncologia, Heloísa Alves Chagas, o som ultrapassa o sentido sonoro e possui impacto terapêutico. “Nesse som estão traduzidos o despertar para a vida, o compartilhar a vitória, a motivação para outros pacientes persistirem no tratamento. Nesse ritual, quem toca o sino sente-se protagonista do processo de tratamento, da conquista alcançada, fortalecido pela experiência e pelo apoio recebido”, conta a profissional.

O ecoar das badaladas significa vitória, emoção e comoção. Em junho de 2017, a aposentada de 60 anos, Maria de Lourdes Siman, foi a primeira a tocar o sino e a contar sua história de superação. Acometida por um câncer de mama no início de 2016, a paciente teve a história marcada por perdas relacionadas a doença, mas também de força. Ela foi mais forte, resistiu e, tocou o sino para mostrar sua conquista.

Um ano e meio depois do diagnóstico, Maria de Lourdes fez questão de contar para todos a sua volta por cima. “Eu tive muito sucesso no meu tratamento, fui a primeira a tocar esse sino. Significou uma alegria muito grande. Foi como se fosse uma missão cumprida. Me senti uma pessoa muito importante. Essa foi minha segunda chance. Eu perdi duas irmãs para o câncer e tocar aquele sino só foi a certeza de que eu estava curada e a vida continua”, descreve emocionada.

O “Sino da Vitória”, faz jus ao nome que o acompanha. Até quando o desfecho do tratamento não é exatamente o mais esperado, o ritual tem importante significado. Como o caso da paciente Heloiza Jung. Após cinco anos lutando contra um câncer de mama com metástase, ela faleceu em maio de 2019, aos 53 anos.

Dois dias após a perda, o marido, Henrique Jung, aposentado, de 56 anos, retornou ao hospital com a missão de encerrar o ciclo pela esposa. Ele diz ter tomado a atitude porque simbolizou o descanso para a companheira, com a qual foi 21 anos casado. “Eu acompanhei a minha esposa nos cinco anos de tratamento. A sensação que eu tive foi de alívio e também de agradecimento. Acredito que ela ficou livre do câncer e achei que o sino merecia ser tocado. E também não poderia deixar de agradecer à toda equipe do Hospital Felício Rocho por tanta atenção, toda simpatia e paciência ao longo do processo de tratamento. Era o que a Ló (apelido carinhoso) iria querer”, desabafou. Em um vídeo, Henrique deu seu depoimento e emocionou toda a equipe do hospital, com suas palavras de afeto e gratidão.

Como estas, muitas outras histórias são contadas. “O soar do sino é um sinal. É despertar, é alerta. O ritual de tocar o sino pelo paciente ao final da quimioterapia possui o significado do fechamento de um ciclo. Significa que o paciente está vencendo uma etapa em seu tratamento e seguindo em frente. Não significa necessariamente que o processo de tratamento terminou, pois, o controle com exames ou outros tratamentos complementares ainda poderão existir”, finaliza a psicóloga.   

 

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

 

Dados da ASBAI mostram que 47% dos pacientes usam a medicação de forma desregulada

A asma é uma doença que não tem cura, mas quando tratada corretamente por meio de terapia medicamentosa, pode ser controlada e ter seus sintomas minimizados. É o que explica o Dr. Ricardo Queiroz, alergista do Grupo São Cristóvão Saúde. No entanto, dados da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) apontam que 47% das pessoas diagnosticadas não utilizam a medicação de forma regular e 73% delas não seguem todas as orientações médicas para o controle da doença, o que pode agravar o problema.

Transmitida geneticamente, a asma é uma doença provocada por fatores alergênicos (elementos que irritam o sistema imunológico como ácaros, poeira, mofo, fumaça, poluição e algumas substâncias químicas) que desencadeiam a inflamação dos músculos pulmonares e aumentam a produção de muco. Dr. Ricardo Queiroz conta que essa alteração causa o estreitamento da passagem de ar, dificultando sua circulação pelo pulmão. “É o que provoca a sensação de sufocamento, um dos principais sintomas da doença”, frisa.

O Ministério da Saúde estima que essa dificuldade respiratória acometa 20 milhões de brasileiros, sendo que 20% dos casos são considerados graves, ou seja, os sintomas são mais agressivos e a sensibilidade aos gatilhos da doença é maior. “O diagnóstico da asma é clínico, ou seja, é feito por meio da identificação dos sintomas, mas caso seja necessário, o médico pode pedir um exame chamado Prova de Função Pulmonar para eliminar qualquer dúvida existente sobre o diagnóstico”, afirma o especialista.

Com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância de realizar o tratamento corretamente, o relatório das Iniciativas Globais para a Asma (Global Iniciative for Asthma – GINA) lançou neste ano o tema Pare a Asma (S.T.O.P. for Asthma), cuja palavra em inglês representa uma sigla, indicando os quatro passos para o controle da doença:

  • Sintomas a avaliar;
  • Testar a resposta obtida com medicação e controle ambiental;
  • Observar e avaliar o paciente de forma contínua;
  • Proceder o ajuste ao tratamento e às medidas de controle ambiental.

Os principais sintomas que caracterizam uma crise são: dificuldade para respirar, chiado no peito, tosse seca, respiração rápida e curta, dor no peito e falta de fôlego depois de praticar exercícios. “Essas manifestações costumam ser muito comuns na infância, por causa da maior sensibilidade que o sistema imunológico tem nessa fase. A natação é um esporte que ajuda muito os pequenos, porque a pressão da água faz com que a criança tenha maior expandir o pulmão e respirar”, afirma Cláudia Conti, pediatra do São Cristóvão.

No caso de gestantes, é importante que o tratamento não seja interrompido, caso contrário a pressão arterial da mulher pode ficar elevada, acarretando uma gravidez de risco. Além disso, bebê ainda na barriga da mãe também pode ser afetado pela falta de cuidados contínuos da doença, ocasionando falta de oxigenação e a possibilidade de parto pré-maturo.

A sigla S.T.O.P traz, de forma simplificada, as principais medidas que devem ser tomadas após o diagnóstico ser efetuado. Elas incluem a identificação dos fatores externos que desencadeiam o processo inflamatório e o uso de broncodilatadores. Esses remédios, ao serem aspirados, promovem o relaxamento dos músculos pulmonares e normalizam o fluxo de passagem do ar. Segundo o Dr. Queiroz, existem dois tipos dessa medicação:

  • De longa duração - utilizadas para manutenção e tratamento contínuo, evitando crises intensas;
  • De curta duração, também conhecidas como terapia de resgate - têm efeito imediato para o alívio de sintomas mais intensos que os de costume, derivados de uma crise.

Para o alergista do São Cristóvão, parte do problema relacionado ao controle da doença se dá pelo fato de que muitos pacientes ignoram os sintomas brandos da asma, procurando auxílio médico somente quando o quadro já está avançado. “Quando o paciente incorpora em sua rotina todos os cuidados e tratamento necessários, ele terá significativa melhora na qualidade de vida”, finaliza o médico.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

É um fato que a obesidade infantil é um problema alarmante. A Organização Mundial de Saúde estimou que são 42 milhões de crianças obesas no mundo, considerando apenas as que têm cinco anos ou menor de idade. Além disso, acreditam que até 2022 existirão mais crianças obesas do que abaixo do peso.

É alarmante ou não é? E o mais complexo disso é que as causas da obesidade infantil são variadas, a começar por uma alimentação rica em açúcares e gorduras, a aspectos genéticos. Além disso, o mundo moderno tem um outro fator de risco que deve ser considerado. São os dispositivos eletrônicos, como celulares, tablets, televisão e computadores, que também são grandes vilões por acarretar no sedentarismo.

Apesar do consumo de telas ser cada vez mais frequente no mundo inteiro, esse hábito está tornando as crianças mais sedentárias. Segundo a OMS, 80% dos adolescentes não são suficientes ativos fisicamente. De acordo com o estudo Sedentary Behaviors in Today’s Youth: Approaches to the Prevention and Management of Childhood Obesity: A Scientific Statement From the American Heart Association, publicado no periódico American Heart Association, o excesso de tempo que as crianças têm estado em frente às telas estão diretamente ligadas ao sobrepeso e a obesidade.

Os números são bastante preocupantes e apontam para uma grande possibilidade de que esses indivíduos se mantenham obesos ou com sobrepeso durante a vida adulta. A obesidade nessa fase prejudica a saúde, não somente na área física, como também a psíquica e a vida social. Com causas multifatoriais, a obesidade está sofrendo maior estímulo por parte de características socioculturais e comportamentais da sociedade atual.

A fim de amenizar a crescente obesidade, a OMS divulgou uma cartilha orientando que crianças menores de cinco anos, passem menos tempo diante das telas e mais tempo se exercitando, já que pertencem a uma faixa etária crucial para o desenvolvimento de um estilo de vida. Segundo a instituição, menores de dois anos não devem ter contato com telas. 

Por isso, os pais, mais do que nunca, desempenham um papel fundamental na criação de hábitos saudáveis. Manter as crianças longe de seus dispositivos não é fácil, mas os pais precisam impor regras e limites. Elas sempre encontrarão o que fazer se o tempo com dispositivos eletrônicos for restringido.

É bom esclarecer que o tratamento da obesidade em crianças e adolescentes deve ser multidisciplinar, contando com o acompanhamento obrigatório de uma equipe de profissionais qualificados, desde um nutricionista até um instrutor de esportes. Mas também alerta que a mudança comportamental de toda família é a principal ferramenta no combate à doença.

Uma outra saída são as cirurgias. Porém, o tratamento medicamentoso e cirúrgico em crianças é totalmente contraindicado. Já em adolescentes, a prática deve ser realizada somente em casos excepcionais, com a indicação formal de toda a equipe. No fundo, o melhor mesmo é prevenir.

O autor Dr. Henrique Eloy é médico especialista em cirurgia, endoscopia bariátrica e gastroenterologia