Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Apesar de ser conhecida por atender anseios estéticos, a cirurgia plástica pode ser usada em casos de reconstruções

 

Um levantamento divulgado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) revelou que em comparação com o último estudo publicado em 2014, as intervenções no Brasil cresceram significativamente, sendo que as puramente estéticas avançaram 23% e as para fins reconstrutores 8%. Considerado como um dos procedimentos mais procurados na área da saúde, você sabia que algumas destas buscas pela cirurgia plástica não são necessariamente voltadas à estética?

 

Apesar de ser muito associada a intervenções que mudam a aparência física, a funcionalidade da cirurgia plástica é diversificada. Um exemplo disso, são os procedimentos cirúrgicos para o tratamento de queimaduras de segundo e terceiro grau. O cirurgião plástico da Clínica Penchel, Winston Ueda, explica que a cirurgia plástica é indicada para casos em que a estética estiver comprometida ou quando alguma função normal do corpo apresentar alterações ou distúrbios. "Em casos de queimaduras profundas, a cirurgia plástica pode auxiliar na recuperação da aparência e função da área queimada. Sendo possível a realização de enxertos ou retalhos”, diz.

 

Outros casos comuns são a rinoplastia e a mentoplastia, que corrigem desvios e má-formações na cavidade nasal e estrutura do queixo, respectivamente. Segundo Winston, que também é membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a procura por cirurgias voltadas às necessidades dos pacientes vem crescendo nos últimos anos. “As intervenções cirúrgicas que corrigem desvios e disfunções tem um duplo ganho, pois, podem auxiliar na melhora da qualidade de vida e, ao mesmo tempo, na estética, fazendo com que o paciente se sinta melhor com a sua aparência”, conta.

 

Também existem outras cirurgias que auxiliam no bem-estar dos pacientes, os auxiliando a terem uma nova vida, como é o caso das mamoplastias redutoras. O cirurgião explica em quais situações essa cirurgia é indicada. “Esse procedimento é indicado para mulheres que possuem mamas muito grandes e como consequência apresentam dores nas costas ou se sentem incomodadas com o tamanho de seus seios. A intervenção nesse caso pode melhorar no convívio social e nas diversas atividades cotidianas”, aponta.

 

O entorno dos procedimentos estéticos é sempre mistificado pelo ideal do corpo perfeito, onde o paciente almeja saciar o desejo de mudar algo que lhe causa incômodo e desconforto. No entanto, com o passar dos anos essa visão tem sido deixada de lado, uma vez que a mudança pode ser o primeiro passo para uma autoaceitação e realização pessoal. “As cirurgias plásticas nem sempre tem o único objetivo de refazer algo por pura estética. Hoje em dia, elas podem exercer um papel muito maior, que é o de ajudar as pessoas a se aceitarem por completo”, conclui.

 

Dr. Winston Ueda - CRM MG 56.016

- Graduado em Medicina pela Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS

- Residência médica em Cirurgia Geral pelo hospital Santa Rita

- Residência médica em Cirurgia Plástica pelo hospital Mater Dei

- Membro adjunto do Colégio Brasileiro de Cirurgiões

- Membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica

- Área principal de atuação: Cirurgia Plástica - Estética e Reconstrutora